emoção


Emoção é uma reação inconsciente, automática, involuntária, súbita e instantânea a um estímulo externo à mente. Ela inicializa a ação e nos prepara para ela.  É inata e egoística - não pode ser aprendida e objetiva facilitar a sobrevivência e a evolução do próprio indivíduo. A emoção natural é uma manifestação visível  do instinto e da intuição, mas não é exclusiva deles, pois o livre arbítrio faculta ao ser humano criar outras propensões.

São 8 (oito) as emoções naturais:

  1. Alegria - reação a algo bom, a um ganho almejado, à satisfação de uma vontade, de um desejo ou de uma necessidade; induz à continuidade do comportamento, à busca por novos ganhos.
  2. Amor - reação positiva à percepção de uma pessoa ou de um outro ser vivo qualquer; induz à valorização/manutenção da vida em geral.
  3. Medo - reação a uma situação de perigo, a uma ameaça à sobrevivência ou à integridade física; prepara para a fuga e/ou defesa.
  4. Surpresa - reação a algo inesperado; induz a parar para pensar a ação.
  5. Tristeza - reação a uma perda significativa e irreparável; induz à revisão de conceitos e à aceitação da perda.
  6. Nojo - reação a algo potencialmente prejudicial à sobrevivência ou à integridade física; induz à rejeição ao objeto do nojo.
  7. Raiva - reação ao surgimento de um obstáculo à satisfação de uma vontade, de um desejo ou de uma necessidade; prepara para o ataque.
  8. Curiosidade - reação a algo desconhecido; induz à busca do conhecimento.

Presente o estímulo (um objeto, um fato, etc.), a mente emocional o capta muito rapidamente, tem uma percepção instantânea do contexto ou de um detalhe e reage automáticamente de acordo com ela. É uma reação involuntária; não se pode decidir/escolher quando vai acontecer. Para ela, o que importa não é o objeto/fato em si, mas o que  ele representa emocionalmente para a pessoa - um simples objeto pode provocar emoções intensas.

Para uma determinada circunstância/impulso, o indivíduo não pode ter duas reações emocionais simultaneamente, pois isto prejudicaria a sua função adaptativa, a inicialização e preparação para a ação. Adicionalmente, para um mesmo impulso, ele não pode ter uma reação emocional em sucessão à outra; depois da emoção virão o sentimento e o pensamento, e depois deles o que virá é sentimento. A raiva que às vezes sucede o medo é sentimento, pois entre eles houve pensamento, ainda que como hábito. Entretanto, nada impede que uma reação emocional ocorra simultaneamente com um sentimento em andamento, fruto de outro impulso.

A emoção é inata e mantém suas características básicas por toda a vida, mas o estímulo, a intensidade e a expressão podem ser alterados.