amar


Uma vez que a pessoa considere que as necessidades de Ter e de Ser estão satisfatoriamente equacionadas, ela se volta para as questões relacionadas ao próximo e ao mundo em que vive, para a necessidade de Amar.

Amar é se dar incondicionalmente a alguém (ou a algum ser vivo), sem exigência de qualquer retribuição, simplesmente pelo prazer decorrente dessa atitude. Pode-se dizer que a necessidade de Amar é a necessidade de Dar, em benefício próprio e da vida em geral. A emoção amor e a necessidade de Amar se complementam no fomento à evolução do indivíduo. Por ser incondicional, amar depende apenas da própria pessoa. Quem ama, se dá. Quem ama, cuida. Quem ama não prende, liberta. Receber amor (Ter afeto) é uma conseqüência normal quando se ama, embora não obrigatória. É no atendimento da necessidade de Amar que o homem parece ser altruísta, mas está apenas satisfazendo às suas necessidades de crescimento.

A melhor coisa que se pode fazer pelo próximo é ser feliz, pois só assim a pessoa estará plenamente apta a se doar.

Amar implica em deixar de ser o centro do próprio universo, em se afastar do Eu, em não priorizar o Eu. Entretanto, a priorização do Eu está na essência do egoísmo e é difícil perceber que Amar é o mais importante dos atos egoísticos.

Enquanto no atendimento das necessidades de Ter a pessoa pode apenas ter momentos de felicidade, no atendimento da necessidade de Amar ela pode ser feliz. Paradoxalmente, quem se dá é quem mais ganha, pois quem ama satisfaz a necessidade relacionada à evolução e à felicidade continuada, enquanto o outro apenas recebe afeto, felicidade de efeito passageiro relacionada à sobrevivência.

Considerando a sequência em que são atendidas (ou se tornam foco da atenção do indivíduo) e o objetivo a ser atendido (a perfeição espiritual), pode-se dizer que as necessidades de segurança, liberdade, ter e ser são necessidades-meio e que a necessidade de amar é uma necessidade-fim. As necessidades-meio devem ser atendidas para possibilitar a busca da satisfação plena da necessidade de amar. É na satisfação do Amar que a pessoa se sente perfeita. Para o Amar a satisfação está na ação e não no seu resultado. O resultado da ação fruto do amor pode não ser o esperado, mas a satisfação de Amar é atingida pela pessoa que agiu movida pelo amor. Como independe do resultado para ser satisfatória, a ação movida pelo amor é sempre boa e, portanto, desejável - o amor não tem contraindicação.

osentidodavida pode ser AZUL